Por que não podemos ser nós mesmos?

Cena do filme “A pele que habito”, de Pedro Almodóvar.

No cenário de nossa sociedade atual, mulheres sofrem com diversos tipos de restrições e imposições, seja no mercado de trabalho, no lar ou em qualquer canto da sociedade. A mulher, principalmente a moderna, transformou-se num objeto, numa boneca manipulada. A sociedade exige barbies perfeitas, não mulheres de verdade em proporções realistas. É de uma estupidez banal a mídia propagar a ditadura da beleza. Mais estupidez ainda é o fato de que as pessoas (principalmente as próprias mulheres) mantêm-se submissas a isso e aceitam que seus corpos, suas roupas ou seus gostos sejam padronizados por uma fórmula milimetricamente calculada.  

Sou do interior, onde há décadas diziam a minha avó para comer muito, pois se não ela não ia conseguir um bom partido para casar-se, “se a mulher for magra demais, o homem vai achar que ela é largada, não é vaidosa, que é pobre, não tem comida em casa e que não tem dotes”. Na década de 20, mulheres rechonchudas eram consideradas lindas, tinham corpos perfeitos e conseguiam a atenção dos homens, enquanto as magras eram chamadas de “tripas secas” e eram humilhadas socialmente. De repente, o vento soprou e tudo hoje é o inverso só porque alguém simplesmente declarou que a beleza pertencia às magérrimas. “Fecha a boca ou vai ficar gorda e pra titia!”

Hoje, conheço meninas que se matariam para perderem alguns quilinhos para terem o corpo como o da Megan Fox, por exemplo. Casos desse tipo podem culminar em doença e em obsessão, como a bulimia ou a anorexia. Falando em doença, problemas de saúde são argumentos falhos utilizados por alguns que tentam menosprezar o corpo do outro. E ainda tentam justificar esse preconceito apoiando-se na ideia (errônea) de que a mulher não pode ter pneuzinhos ou alguns quilinhos a mais porque não é saudável estar "fora de forma" assim como ela não pode ser magra porque pode adoecer pela "falta de nutrientes". 

Falsos médicos metidos a especialistas diagnosticam doenças o tempo todo: “Olha Maria como está raquítica, coitada, deve estar doente!” ou então “olha Joaquina como virou uma baleia depois que se casou!”. Na verdade são especialistas em falar da vida alheia. O fato é que tanto Maria ou Joaquina são/estão gordas/magras porque a genética, o metabolismo ou os próprios hábitos delas as tornaram assim. E ai delas ousarem tentar ser felizes como são porque nossa sociedade preconceituosa não permite.

A ironia é que na maioria das vezes são as mulheres quem têm que fazer mil dietas e sacrifícios para agradar o sexo oposto e não a si mesmas. Onde está o sacrifício masculino? A mulher se produz, compra roupa nova, aprende a se maquiar, faz milagre para se equilibrar sobre o salto, faz de tudo para que seus cabelos estejam impecáveis e aprendem “como salvar seu relacionamento em apenas 3 dias” enquanto os homens ficam esparramados no sofá esperando o jantar ficar pronto e podem sair trajando qualquer bermuda, uma camiseta simples e um chinelo em qualquer lugar sem receberem olhares tortos. E se acontecesse o contrário, homem se arrumando demais e mulher de menos, diriam que os sexos estão com anomalia, ele seria tachado de bichinha e ela de pé grande.

Não me venha com essa hipocrisia de que homem não liga para nada disso e que isso é besteira. Exceto raras exceções, homem se importa com isso sim. Nossa sociedade é estupida e machista desde sempre. “Beleza natural é a melhor”. Alguns homens tentam me contrariar alegando que não são a favor da ditadura da beleza que a mídia impõe, mas sim a que eles consideram “natural”.  E no final os padrões são os mesmos: a gordinha/magrinha fica de fora porque não fazem “o tipo” deles. “Mulher se arruma pra mulher”, outros me dizem. Em parte, concordo. Mulheres entram numa disputa de beleza cujo não tem como haver vencedora, pois a beleza é única e particular de cada um. Eu posso considerar beleza aquilo que você repudia. Opinião é relativo. 

Mas o que fazer se desde crianças as mulheres são fadadas a cuidar do lar? O que fazer se insistem em nos ensinar como enlouquecer um homem em dez passos? Vamos ser sinceros e confessar que não importa a personalidade de uma mulher, mas sim o que ela tem. Mulheres são consideradas boas se tiverem bundas e peitos.

Feminismo, revolta e realidade à parte, deixem Maria e Joaquina em paz. Elas estão felizes por não se parecerem com a Megan Fox ou com a Adele porque elas gostam de serem elas mesmas, gostam de ter essência própria. Aliás, imagina o eco que seria se não só Maria e Joaquina, mas todos seguissem os padrões de beleza? Quão chato e estúpidos seríamos reproduzindo em massa uma essência artificial; seríamos coisificados e despersonalizados. Então aceite Maria e Joaquina como são, sobretudo, se aceite. Aceite a pele em que você habita. Claro que somos muito além disso, mas temos o direito de ser magro (a) ou gordo(a), o direito de ser nós mesmos. E temos o dever de respeitar o próximo.



11 comentários

  1. A sociedade pôs modernidade impõe um padrão não só para as mulheres, mas também para os homens como por exemplo: ter uma barriguinha de sarada de academia, cabelo curto etc, a maioria das mulheres tirando uma algumas também acabam exigindo isso.
    Causando assim o quê vemos hoje, relacionamentos vazios de mera aparência, sem levar em conta os sentimentos entre os dois, somente por simples prazer, levando a relacionamentos curto que acabam apos acabar o prazer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela colocação em cima do tema. Concordo que homens e mulheres sofrem imposições sim, porém penso que na maioria das vezes são as mulheres quem são mais cobradas. Cada caso tem suas particularidades, suas causas e consequências.

      Abraço!

      Excluir
  2. Aonde eu vou, por favor, pra curtir este post mais uma vez? Você vomitou as palavras enterradas na minha garganta há 20 anos de vida.
    Eu sou magra. Sempre fui. Não tenho uma bunda 38 nem peitos medios. É pequeno mesmo pois sou magra. O que acontece é que eu escuto a mesma merda sempre "Você tá muito magra! Homem gosta de carne. Não vai arranjar um namorado desse jeito". Eu fico me perguntando onde está o cérebro dessas pessoas. Poxa vida, somos apenas marionetes das revistas e da televisão. Todo mundo acha bonito ir pra academia, engolir hormonios e ter uma bunda enorme e ainda por cima colocar 400 mL de peito?
    Eu amo curvas. Justamente porque não sou curvilineá assim, eu gosto bastante. Mas do natural. Sabe a menina que tem o quadril largo porque NASCEU desse jeito? Eu acho linda. A que tem seios porque NASCEU desse jeito? É lindo! E é lindo também a menina que tem o quadril estreito e a que tem pouco peito. Imagina todo mundo igual? Nossa, qual a graça nisso tudo?
    Li uma frase de uma recente música da Beyoncé em que fala "É a alma quem precisa de cirurgia". Nossa, disse tudo. Na nossa sociedade é feio olhar no espelho e sentir bonita mesmo não estando no perfil que a midia impõe. Isso cansa, de verdade.
    Ufa. Poderia ficar falando disso o dia todo. Mas chega, desabafei. Adorei o texto. Um tapa na cara pra geral hahaha.
    Beijão!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Poxa Maristela, muito obrigada pela apreciação!
      É exatamente isso o que eu queria dizer com meu texto, falar da importância de valorizarmos nossa beleza como ela é e que não existe isso de mais bonita, mais feia, etc. Realmente é a nossa alma quem precisa de cirurgia, pois falta mais amor próprio, mais alto estima.

      Aqui fica meu "obrigada" novamente ^^
      Abraços!

      Excluir
  3. Comecei a trabalhar num academia recentemente, e tenho observado a maioria daquelas pessoas que ali frequentam, na maioria mulheres, estão tão presas as convicções do mundo moderno incutidas, propagadas e programadas pela mídia em geral, que parecem não ter vontade própria: Malham, se exercitam, apenas para agradar, para ser bem vista, para não ser descartada nesse mundo em que a aparência parece ditar o caminho. Me pergunto realmente o que está havendo até mesmo com a juventude porque lá aparecem jovenzinhas de 14,15 anos preocupada em aumentar a bunda para atrair olhares masculinos ou para que suas amigas vejam o quanto ela é superior, como se a bunda fosse realmente a parte do corpo que ela deveria estar exercitando. Acho que se tudo isso, fosse algo espontâneo e real, se elas quisessem realmente quisessem modificar seu corpo por vontade própria, para sentir satisfação pessoal, eu não ficaria tão abismada, mas não é, e isso é perceptível. A mídia dita a moda: As mulheres têm que simplesmente continuar seguindo os mesmos padrões machistas antigos, só que agora está tudo mascarado, ou alguém ainda acredita que todas essas revistas femininas ao invés de colocar na capa: "Como enlouquecer seu homem em 10 passos", iriam colocar a verdade que eles pensam : " Você é uma mulher, seja submissa, aprenda agora fórmulas inúteis de dar prazer a um homem,porque se tem algo errado na sua cama, a culpa é sua". Ou "10 dicas de maquiagem infalíveis para conquistar", no caso seria "Ninguém vai gostar de você como realmente é, disfarce-se, venda sua alma, seu jeito único e arrase!".Faça-me o favor, estou começando a me tornar cética em relação ao mundo e Deus sabe o quanto não quero isso, apesar de tudo quero acreditar que o mundo pode ser melhor. Em relação aos homens como o menino aí de cima disse, há sim algumas cobranças, mas não tão grande em relação ás cobranças incutidas ás mulheres embora tudo isso por mim tinha que ser jogado pelos ares, são só mais uma forma de controlar as pessoas, de transformá-las em escravas marionetes da aparência, da moda, da não valorização do pensar, do sentir, que é o que realmente importa. Um post para mim é considerado bom, quando me faz pensar, e garota, ótimo post! É bom ver que ainda existem blogs que trazem pensamentos reais e verdadeiros, não apenas as mesmas coisas enlatadas e transvestidas de novas. Abraços!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mell, concordei 100% com vc quando disse: "como se a bunda fosse realmente a parte do corpo que ela deveria estar exercitando". Há tanta coisa bacana no mundo a ser descoberta, tantos lugares a serem explorados, tantos momentos a serem vividos, tantas pessoas a conhecer, tanta coisa nova a se fazer, mas as pessoas deixam isso de lado porque estão presas numa guerra constante contra o tempo e contra a natureza a fim de obterem a tão sonhada “fórmula da juventude”. E cada vez mais nos deparamos com pessoas que se tornam feias tentando ser “bonitas”, pessoas que não aceitam a si mesmo, não são gratas pela beleza que a natureza as deram, pessoas montadas, superficiais, banais e vazias. Pessoas que têm medo de si próprio, que não se suportam sem maquiagem, que não são nada por trás das plásticas ou das próteses de silicone...
      E é como vc colocou: “a mídia dita a moda”. E ai de quem ousar não acompanha-la. O ser humano é um bicho engraçado, não é? Menospreza indivíduos da sua própria espécie por preconceito que ele mesmo cria.

      Mell, muitíssimo obrigada por todo apoio e por suas belas palavras que trazem consigo ótimas colocações e observações (acrescentam muito).

      Mil e um abraços!

      Excluir
  4. Adeisa, você expressou tudo o que sinto hoje em relação ao estúpido padrão de beleza que só mutila a auto-estima da mulher. Depois que li O Mito da Beleza, de Naomi Wolf, percebi que faltavam na Mídia mulheres reais: gordinhas, magrinhas, negras, amarelas, cabelos crespos, corpos normais, e não aquela manipulação de Photoshop escondendo "imperfeições".
    Tratam beleza como algo universal, objetivo: não existe beleza além dos padrões impostos,; um culto à bela fêmea. Temos que sair dessa caixa que a Mídia embute em nossa mente, e aprender a enxergar beleza em suas várias cores, formas e escala.
    Excelente post, Adeisa. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lari, estou louca para ler esse livro, vc não tem ideia 'o' A Naomi é mesmo sensacional!
      Enfim, vc tem toda razão! Temos que sair dessa caixinha restrita que limita nossa percepção e nos induz ao julgamento errado, ao preconceito, etc. Temos que aprender a ver de outros ângulos, saber que as diferenças existem e que nelas estão a verdadeira beleza.


      Muito obrigada! ♥

      Excluir
  5. Mulher só se arruma pra mulher quando se trata de roupas e maquiagem. Do resto... AHUAHA mas super concordo com seu texto. Querendo ou não, mesmo chamando de 'moderno', somos ultrapassados quanto a isso. E é terrível. Muita gente se influencia, nem que seja por um incomodozinho atrás da orelha por causa daquela gordurinha, estria ou sei lá. Enquanto os homens acabam a vida com pança de cerveja e mais estrias que qualquer mulher que já vi e ninguém aponta o dedo. WHAT
    Beijos ♥

    Conspirantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, é exatamente isso: o mundo está em constante avanço movido a todo vapor pelo capitalismo, mas apesar disso, ainda estamos presos a velhos costumes, pensamentos pequenos, falta de respeito... Particularmente, fico indignada quanto a isso! Poxa!

      Excluir