A Televisão Brasileira – (Des) Informadora?


Não faz muito tempo eu escutei uma mãe dizendo para uma avó que carregava um bebê chorão: “Ligue a televisão e ela se cala!”.

Faz quase setenta anos que a televisão foi implantada no cotidiano do brasileiro e como um amigo parasita, ela entrou e se instalou em nossas casas, empregos e ate mesmo na hora do lazer.

Somos diariamente bombardeados com informações irrelevantes, argumentos falhos, programas cheios de fofocas matinais e desenhos que servem apenas para calar nossas crianças ou causar transtornos psicológicos.

De fato, já não consigo dizer se a televisão brasileira serve para formar, informar, desinformar ou deformar os cidadãos. Será que as informações que chegam até os nossos olhos pela televisão – e também em outras mídias – são realmente como são? Muitas vezes não!

A manipulação da informação está presente na imprensa e na televisão, não só brasileira, quanto mundial. Muitas vezes o que está sendo escrito ou falado, serve apenas para agradar economicamente ou socialmente, seus responsáveis.

Somos influenciados pelo que está passando na televisão no momento, somos levados a tomar uma posição de acordo com o que está na pauta dos ancoras e jornalistas. Como, por exemplo, quando uma novela trata da AIDS. De repente a doença se torna um assunto amplamente discutido em todos os locais, mesmo os fatos pesquisados e apresentados direcionam as opiniões para nuances de interesse da rede em questão.

E o que falar dos Telejornais? São notícias dadas em segundos, sem um aprofundamento, apenas histórias sendo jogadas ao vento. As coberturas são, muitas vezes, voltadas apenas para um lado, mostrando cenas que desfavorecem um movimento ou uma pessoa, contando apenas uma versão dos fatos. A história é contada apenas pelo olhar que agrade a emissora ou o que quer que esteja por trás da informação.

Várias opiniões estão sendo formadas com base no que se passa na Tevê, informações que não mostram a verdade por inteiro e meias verdades não educam ninguém.

É hora de nos informarmos, de saber o que houve por ambos os lados, de observar, absorver e pensar. Somos um país muito grande para se deixar manipular por palavras avulsas usadas por marionetes. A opinião deve vir de você e não de um telejornal!

Se informe, opine, viva suas ideias e principalmente, ouça e não se deixe influenciar.

***

Texto de Fernanda Isabela Santos feito para um trabalho de sociologia cujo tema era a “Indústria Cultural”. Tomei a liberdade de publicá-lo aqui (:


Nenhum comentário

Postar um comentário