Blog em reforma. Novidades em breve!

45% completo

// //

Pare de me dizer como ser bonita e tire seus padrões da minha beleza

Comente!
Tire seus padrões de beleza do meu corpo; marcha das vadias SP
Marcha das Vadias 2013, São Paulo - SP. (c) foto: Rony Marques


Padrões de beleza sempre existiram desde a época de nossas avós até os dias de hoje. Óbvio que as exigências estéticas mudaram: antes o ideal de beleza tido era o da gordinha, atualmente é o da magérrima (mas não demais senão vai parecer com alguém que sofre de anorexia/bulimia nervosa). Os padrões mudaram (e mudarão sempre), porém o ponto a ser atingido ainda é o mesmo: enquadrar as pessoas numa forma, num ideal de beleza impossível de ser conquistado naturalmente (aliás, o objetivo é esse).

mulher padronizada
(c) ilustração: Negahamburgeuer

A indústria cultural não perdoa e impõe sua ditadura da beleza cruel e exigente. As telas do cinema são enormes, mas só há espaço para mulheres se estas forem magras, loiras, brancas, jovens, sexy e, claro, se mostrarem alguma parte do corpo. A moda é descolada, mas é feita sob medida só para os magros. A indústria farmacêutica e cosmética é incrível, mas parece que só há espaço para as mulheres, afinal, toda mulher tem que ser linda.

A mídia não gosta das mulheres e jamais gostará, pois elas são a maioria, são consumidoras e rendem muito dinheiro. Querem que acreditemos que não somos belos como realmente somos. Querem que as mulheres, principalmente, percam sua essência própria para se tornarem artificiais. E para isso, meios extremamente apelativos são arquitetados para massacrar-nos e fazer-nos consumir produtos que irão supostamente nos enquadrar nesses padrões.

Tem o nariz achatado? Então que tal uma plástica?! Aproveita e faz lipoaspiração para acabar de vez com as gordurinhas! Você é mulher e não pode ter pêlos, por isso faça depilação a laser.  Quer ficar linda naturalmente? Que tal pilates? Pilates agora está na moda e está com tudo. Tem os dentes amarelados? Faz um implante! É muito prático e o seu plano de saúde cobre. Comeu brigadeiro demais na festa, acabou com a dieta e ainda por cima engordou? Use essa maquiagem que te deixará incrivelmente linda, mesmo gorda!


mulher pode ter pêlos
(c) ilustrção: Umbigo Sujo

No final, depois de tanta plástica, dietas macabras e cremes rejuvenescedores, ainda não estamos satisfeitos conosco mesmo, pois os padrões são inalcançáveis, são planejados para que estejamos sempre insatisfeitos conosco e busquemos o tal corpo ideal (se é que existe um “corpo ideal” para todos) numa luta que não tem fim. A cada dia surge um defeito novo ou uma nova tendência a seguir. Mas não se preocupe, a cada dia surge também uma técnica nova ou até mesmo um produto milagroso que irá cobrir nossas “imperfeições”. Coincidência? A cura aparece como um passe de mágica na nossa tevê, na internet, no rádio e em panfletos: “tome ômega 3 para rejuvenescer”, “compre maquiagem para cobrir suas espinhas”, “esse livro te ensina a preparar água de berinjela para emagrecer em apenas um mês”, “use esse creme para eliminar suas rugas”.

Isso tudo soa como extrema violência contra nós mesmos, mas sequer notamos que somos os reprodutores em massas desses padrões. Afinal, nenhum produto sobrevive no mercado se não há consumidores para ele. Somos nós que recriminamos a “amiga” por estar supostamente gorda. Somos nós que debochamos de quem tem o cabelo crespo. Somos nós que discriminamos o outro por não estar com as roupas da moda. Somos nós que criticamos aquela atriz por estar “velha” para aquele papel. Somos nós que compramos as revistas que nos ensinam a dieta da luz. Somos nós que clicamos nos links que dizem “veja as dez atrizes mais lindas de Hollywood” e queremos ficar iguais a elas. Somos nós que deixamos de ir a praia com medo de mostrar a celulite.

vítima do padrão de beleza
(c) ilustração: Negahamburgeuer ♥

Somos os autores do crime contra nós mesmos, contra nossa auto-estima. Somos nós a combustão que impulsiona e propaga a ditadura da beleza. Somos nós que não sabemos enxergar outras belezas que fogem ao padrão midiático. Somos nós que tiramos uns dos outros o direito de ser magro(a) ou gordo(a), o direito de ser nós mesmos.

Chega disso! Já passou da hora de darmos um basta nessa tamanha estupidez. A beleza é única e exclusiva de cada um e, sendo assim, jamais poderá ser padronizada. Então tire os padrões da sua beleza (e do seu corpo).

“E um dia ela percebeu que a barriga negativa não tornava sua auto estima positiva”
- Márcio Carvalho


  1. Ok, é uma pergunta meio idiota de fazer depois de ler teu post, mas você já leu O Mito da Beleza? Fala exatamente sobre como esse novo padrão inalcançável de beleza foi moldado para nós, mulheres nos sentirmos subjugadas depois de tantas conquistas durante a última onda feminista (por exemplo trabalhar fora).

    Ainda outro dia tava conversando com uma amiga sobre como é difícil encontrar produtos de maquiagem que fiquem bons nas peles morenas e negras. Ela me contou que tem certos tipos de delineadores que mesmo sendo pretos não aderem direito na pele dela, que é bem escura.

    E poxa, Adeísa, não fala mal do pilates não, hahaha. Ele foi a única coisa que me curou de um problema ortopédico terrível. Fiz anos de fisioterapia que não surtiram o mesmo efeito de 6 meses no pilates, hahaha!

    Beijão <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, o livro em si não li todo, mas sim um resumo sucinto bem como outras análises em cima do Mito da Beleza.
      Tenho pra mim que produtos de beleza, são na maioria das vezes destinados a mulheres cis brancas de classe média/alta. Agora é que nota-se uma pequena parcela que atenta ao público feminino de beleza negra, ainda sim porque está na moda/mídia. A Hingrett fez aqui uma colocação bem interessante a respeito do assunto.
      Ô Lu, só citei pilates porque aqui na capital mineira o que mais tem é gente o recomendando pra perder a tal gordurinha como se pilates fosse exclusivamente pra isso, acredita?!

      Muito obgd, de coração!

      Excluir