Blog em reforma. Novidades em breve!

45% completo

// //

Going Under

Comente!
Going Under - Blog Perspectiva Nova

Das expectativas que criaste, todas foram dilaceradas.
Umas por você mesmo. Outras por quem sequer sabia que tinha que seguir um script.
O seu script.

Da frustração restaram diversas esperanças. Afinal, não é a última que morre?
E o mundo despenca ao seu redor, mas você continua ali lutando porque tem esperança, mínima que seja. É o suficiente para acreditar que as coisas vão, finalmente, acontecer a sua maneira. E lá vamos nós remarmos contra a correnteza, navegando rumo ao maremoto. Não importa! Tem uma pequenina esperança aquecendo o coração.

O caos fica a espreita esperando o momento oportuno para revelar sua presença.
E o inferno se ergue subitamente. Mentalmente. Individualmente. Espiritualmente... Qual o sentido disso mesmo? De viver assim? Se o desejo é o sofrimento do homem, por que nutri-lo vorazmente?

A esperança que te ergue é mesma que te afunda: faca de dois gumes; estrada de mão dupla; sim ou não; agora ou nunca. O que não dá é fingir que é neutro. Tem que escolher. Minuciosamente. Precisamente. Ir ou ficar. (Re) começar ou terminar.

E isso não é só sobre o amor, uma paixão platônica.
É sobre subjetividade. Sobre as pendências da vida, sobre o egoísmo, sobre as ambições, sobre o trabalho, família...

Eu escolhi ficar e te deixar partir.
Recolher os restos que ficaram. A dor que ficou. A tristeza. O ódio. As expectativas. A frustração. As lembranças. O carinho. A saudade. Não necessariamente nessa ordem, mas por último a esperança.

Esperança de uma primavera em pleno inverno.
Esperança de um dia as coisas se encaixarem devidamente. De ser mais perspicaz, mais forte, mais corajoso, mais audacioso, mais persistente. Mais tudo, menos hipócrita, chorão, covarde.

Você se foi, mas o pior ficou. O caos ficou. Eu fiquei.
Fiquei sozinha, com esperança de ter mais esperança. Com noites mal dormidas, lágrimas quentes escorrendo a face, com a desilusão, com medo. Medo de ter escolhido errado. Medo de você não voltar. Medo de que volte.


Afundando.

(c) Imagem: todos direitos reservados a Laura Zalenga

  1. Massa seu conteúdo! Curti no facebook pra continuar acompanhando. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Katarina, que meiga vc! Obgd!
      ~seja ultra bem vinda :)

      Excluir